500 mil euros em donativos para Pedrógão Grande foram desviados

Vários proprietários alteraram a morada fiscal meses após a tragédia de Pedrógão Grande para beneficiarem dos donativos, segundo concluiu uma investigação levada a cabo pela revista Visão.

No total, estima-se que cerca de meio milhão de euros foram desviados para serem utilizadas em obras “não urgentes e secundárias”. A Visão descobriu que foram recuperadas casas que não foram afetadas pelos incêndios, outras que não eram de primeira habitação, e algumas das casas até se encontravam desabitadas.

O esquema terá alegadamente tirado proveito dos critérios que estavam em vigor para usufruir dos apoios para a reconstrução de habitações e terrenos afetados pelas chamas que deflagraram em Pedrógão Grande a Junho do ano passado.

Segundo as investigações levadas a cabo pela Visão, as regras para obter ajuda dos fundos de apoio não definiam que a morada válida teria de ser a da data da ocorrência da tragédia, de maneira a que alguns proprietários terão alterado as suas moradas fiscais nas Finanças muito depois do incêndio, para casas de férias na região ou mesmo locais abandonados.

A presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, Ana Abrunhosa, admitiu que podem ter sido atribuídos apoios a casas de pessoas que nem sequer arderam ou estavam perto da tragédia de Pedrógão Grande.

Fonte:
Visão

Comentários

You may also like...