A cada dia mais debilitada, mãe de Rui Pedro faz apelo desesperado: “Não se esqueçam dele!”

O tempo passa depressa, e assim, num instante, já passaram 20 anos desde o dia em que Rui Pedro desapareceu, quando tinha apenas 11 anos. A mãe, Filomena Teixeira, nunca perdeu as esperanças de um dia voltar a encontrar o seu filho, é a luta da sua vida. Agora, vinte anos após o seu desaparecimento, voltou a apelar nas redes sociais:

“Quero ter a mente sempre ocupada a ler ou a fazer alguma coisa… Ultimamente leio livro atrás de livro, numa ânsia desmedida. Quero não pensar. Quero pensar que sou outra pessoa e que convivo com a dor ‘saudavelmente’. Não quero acreditar que esta saudade me invade e me faz explodir de dor. A quem falar? A quem contar? Confiar? O que me podem dizer?”

“queria tanto ser diferente, faço tudo ao contrário, fecho-me, isolo-me. E leio. Mas não esqueço. Não posso deixar de falar cada vez mais nele, tudo me lembra dele. E hoje é um dia de choro, de revolta, de desespero e mais, e mais, até ao infinito da dor.”

“Não se esqueçam dele. Por favor! Prometam-me que não se esquecem dele. E se me acontecer qualquer coisa, continuem a lutar por saber o que lhe aconteceu. É já tudo o que me resta! Este desespero de saudade que só quem é mãe sente. Por favor não se esqueçam dele. Nunca desistam” pediu a mãe de Rui Pedro, que não quer morrer sem voltar a ver o seu filho, mas se tiver que ser assim, que continuem a lutar por ele.

Comentários

Talvez seja do seu interesse...