A emocionante história de uma cadela perdida na linha do Porto contada em primeira pessoa

Há histórias que valem a pena ler até ao fim, e esta é uma delas. Aqui está a prova que devemos dar sempre o melhor de nós em todas as situações, especialmente quando se trata dos nossos melhores amigos de quatro patas. 

“Esta manhã ia no comboio para o Porto quando me apercebo desta cadelinha sentada do outro lado, as pessoas quando a viram chamaram o revisor, e o senhor embora a cumprir ordens mas com pouca sensibilidade começa a puxar pelas patas de forma a coloca lá fora do comboio, levantei-lhe e pedi-lhe para parar.

A bichinha estava muito assustada e aninhou se com medo, enquanto outros diziam para a deixar lá fora que ela ia ter a casa, pedi lhe para não fazer isso pois ela podia tentar voltar ao comboio e cair para a linha, o revisor indignado perguntou me “quê você responsabiliza-se” eu respondi que sim, ela sairia comigo em general Torres e tentaria encontrar um solução mas não a deixava sair do comboio sozinha.

Então algumas pessoas intervieram, uma simpática senhora que estava no comboio ligou para uma amiga para tentar arranjar um abrigo, e outra saiu comigo para levarmos a cadelinha para a estação visto que ela insistia em ir para o comboio, mas todos seguiram os seus caminhos e ficámos as duas quando apareceu a Joana em nosso auxílio e enquanto eu segurei a cadelinha a Joana teve a amabilidade de lhe ir comprar uma trela, enquanto a minha amiga Márcia tentava arranjar uma solução , eu a Joana e a menina fomos avenida acima em busca de um veterinário para ver se ela teria chip.

Completamente convencidas de que seria mais um triste abandono então veio a maior emoção estávamos enganadas, a Nina tinha chip e um dono que deixou o trabalho e num quarto de hora pôs se na avenida com mil agradecimentos para levar a sua menina que fugiu quando ele saiu para trabalhar.

Isto tudo para alertar para as consequências que a indiferença pode fazer, desta forma peço que não ignorem se viverem alguma situação parecida pois cada vida é única e têm o seu valor e tantas outras Ninas podem ter o seu final feliz se todos nós dermos apenas o melhor de si.

Obrigada”

Esta história que todos deviam ler passou-se em Outubro, no comboio do Porto, e está a encher os corações de todos os portugueses. 

Talvez seja do seu interesse...