Centenas de pessoas estiveram presentes no último adeus a Julen

Centenas de pessoas quiseram estar presentes no último adeus a Julen, o menino de apenas dois anos que caiu no fundo de um poço com cerca de 110 metros de profundidade, em Totálan, Málaga, Espanha.

O corpo foi encontrado na madrugada de sábado a 71 metros de profundidade, coberto por uma camada de 60 centímetros de terra compacta que terá caído por cima dele.

O pequeno Julen será enterrado hoje no cemitério do bairro de El Palo, em Málaga. Antes de ser enterrado, pelas 12h30, está marcada uma cerimónia, segundo informa a empresa municipal Parque Cementerio de Málaga (Parcemasa)

“Nunca tinham estado tantas pessoas nesta casa funerária”, revelou uma senhora, que segurava numa coroa de flores e balões com o nome de Julen gravado.

“Ficámos aqui a noite toda, tem sido muito difícil, mas estamos muito gratos a todos os nossos vizinhos em El Palo, cuidaram de nós todas estas horas, é incrível as pessoas boas que se encontram aqui” contou um primo da mãe de Julen.

No centro das operações já só se encontram tratores e outras máquinas. Apenas ficaram no local alguns técnicos para não deixar a passagem de ninguém, pois ainda será submetida a perícias para saber mais detalhes sobre como Julen caiu no poço.

A esperança de que Julen pudesse encontrar-se ainda com vida foi o que motivou todos os familiares, trabalhadores, e locais a manter o ânimo até ao último dia.

Agora, apesar de saberem que a ‘montanha’ ganhou este braço de ferro, todos os trabalhadores envolvidos podem pelo menos ter paz de espírito por ter alcançado o objetivo de reunir Julen novamente com os seus pais, para que estes lhes possam dar o último adeus.



Comentários

Talvez seja do seu interesse...