Eleitos para a Junta dão o ordenado todo aos pobres, em Guimarães

Quinze elementos da Junta de Freguesia de Ponte, em Guimarães, doam todos os meses o ordenado aos mais carenciados da freguesia.

Tudo começou no ano de 2013, na altura em que Sérgio Castro Rocha, atual presidente da Junta, era eleito pela coligação PSD/CDS. Desde então, a fasquia já superou os 50 mil euros, segundo o Jornal de Notícias. No total, vai para os mais carenciados o salário dos 5 elementos do Executivo e as senhas de presença de 10 deputados do PS na Assembleia da Freguesia.

Em 2013, Sérgio Rocha avançou para a constituição das listas do PSD/CDS em Ponte, estabelecendo como condição dos futuros eleitos a doação de todas as verbas de salários e senhas de presença aos cidadãos mais desfavorecidos da freguesia. Naquele mandato, foram doados mais de 37 mil euros.

Já em 2017, o presidente mudou de partido e candidatou-se pelo PS, mantendo a medida altruísta. Nesse ano, voltou a ser eleito com 73% dos votos, a maior votação registada pelo PS numa Junta de Freguesia de Guimarães.

Vítor Caetano, Maria Martins. Sérgio Rocha, Ana Oliveira e Serafim Fernandes doam o salário aos mais pobres

“Temos cerca de 100 voluntários que fazem parte da equipa da Junta de Freguesia. Nós, do Executivo, também somos voluntários, por isso não fazia sentido uns receberem e outros não”, explica Sérgio Rocha.

O valor dos salários é integrado no projeto da “Junta Amiga”, que já ajudou 246 famílias desde 2014. Na prática, o projeto ajuda a financiar as despesas pessoais de famílias comprovadamente carenciadas ou que se viram numa dificuldade temporária. No atual mandato, os 15 elementos já reuniram quase 12 mil euros.

Comentários

Talvez seja do seu interesse...