Enfermeira adota bebé de quem cuidou numa unidade de cuidados intensivos no hospital

Três dias após o nascimento do menino, o mesmo foi submetido a uma cirurgia no coração. A enfermeira que cuidou dele durante meses é agora a mãe adotiva.

Blaze é o nome do menino que nasceu com um problema cardíaco congénito designado por síndrome do coração esquerdo hipoplásico. Após o nascimento, o bebé esteve internado durante vários meses no hospital pediátrico OSF, em Illionois, nos Estados Unidos. Depois da primeira cirurgia, o bebé voltou a ser submetido a outra e é provável que venham a precisar de um transplante de coração.

A criança, durante todo o tempo que este internada na unidade de cuidados intensivos, não pôde ter os pais por perto. Os pais do menino, vivem longe do hospital e não tinham possibilidades de pagar o preço das deslocações para ver o filho. Apesar disso, o menino nunca esteve sozinho e recebeu toda a ajuda médica e amor que precisava.

Angela Farnan, uma enfermeira, cuidou do menino desde os seus primeiros instantes de vida. Com a aprovação dos pais, a mesma recebeu uma custódia provisória da criança para assumir as decisões a tomar a nível clínico. Algum tempo mais tarde, foram os próprios pais do bebé que pediram à enfermeira que adotasse o menino, confiantes de que com ela e o marido Blaze pudesse ter uma vida melhor.

A enfermeira e o seu marido, Angela e Rick, mostraram uma enorme felicidade após receberem um novo membro na família. “Não posso descrever o sentimento de ser pai pela primeira vez. Foi um dos melhores dias das nossas vidas”, afirmou Rick.



Talvez seja do seu interesse...