Espanha aumenta para 900 euros o salário mínimo, “Um país rico não pode ter trabalhadores pobres”

Pedro Sánchez, primeiro-ministro espanhol, anunciou esta quarta-feira em Madrid a subida do salário mínimo para os 900 euros em 2019 porque “um país rico não pode ter trabalhadores pobres”.

O primeiro-ministro revelou num discurso no parlamento espanhol que esta subida será de 22%, a maior desde 1977, e justificou a medida com a explicação de que “um país rico não pode ter trabalhadores pobres”

O Conselho de Ministros espanhol vai aprovar esta medida numa reunião que irá decorrer em Barcelona no próximo dia 21 de dezembro.

Atualmente, o salário mínimo espanhol está em 735,9€, e o aumento para os 900 euros faz parte de um acordo que o Governo socialista espanhol assinou com a extrema esquerda sobre o Orçamento para 2019.

Pedro Sánchez tornou-se primeiro-ministro em 02 de junho de 2018, depois de o PSOE — com apenas 84 deputados num total de 350 – ter conseguido aprovar no parlamento, na véspera, uma moção de censura contra o executivo do Partido Popular (direita) com o apoio do Unidos Podemos (coligação de extrema-esquerda) e uma série de partidos mais pequenos, entre eles os nacionalistas bascos e os independentistas catalães.

Comentários

Talvez seja do seu interesse...