Este ano já perderam a vida 11 mulheres vítimas de violência doméstica

Desde o início do ano de 2019 até agora, 11 mulheres já perderam a vida pelas mãos de ex-companheiros, maridos, namorados ou outros familiares.

A 5 de janeiro, um casal foi encontrado sem vida na própria habitação, em Lagoa, no Algarve. O homem, Nuno Guerreiro, terá tirado a vida à companheira, Lúcia Rodrigues, com recurso a uma arma de fogo e, de seguida, acabou com a própria vida.

A 7 de janeiro, um homem de 52 anos tirou a vida à cunhada, de 46 anos, agredindo-a fisicamente, na ilha Terceira, nos Açores. O crime terá ocorrido na sequência de uma disputa por uma habitação que pertencia à mãe do criminoso.

A 11 de janeiro, uma mulher, Vera Silva, foi espancada até perder a vida na sua residência, no Pragal, Almada. O corpo da mulher terá ficado praticamente irreconhecível, com várias marcas de agressões espalhadas pelo corpo. Ainda foi transportada com vida para o Hospital Garcia de Orta mas acabou por não resistir aos ferimentos.

Um homem de 83 anos tirou a vida à esposa, com a mesma idade, e à irmã da mulher, de 80. De seguida, tentou acabar com a própria vida mas acabou por falecer já no hospital.

A 17 de janeiro, um homem de 72 anos, tirou a vida à esposa, de 71, com um tiro de caçadeira, num apartamento onde residiam há cerca de 40 anos, em Oeiras. Após o crime, o homem pôs termo à própria vida.

A 27 de janeiro, uma mulher de 48 anos de nacionalidade brasileira, foi agredida violentamente até perder a vida na habitação que utilizava para atender os clientes no negócio da prostituição, em Santarém.

A 31 de janeiro, um bombeiro foi detido por tirar a vida à amante de 25 anos. O homem mantinha um relacionamento amoroso com a vítima que estava junta com outro homem. Ciúmes obsessivos estão na origem do crime. A mulher deixa um filho de cinco anos.

A 4 de fevereiro, uma mulher de 60 anos perdeu a vida no Seixal. A mesma terá perdido a vida pelas mãos do genro, com recurso a uma faca. Após o crime, o homem tirou a vida à própria filha, de 2 anos.

A 18 de fevereiro, Ana Silva, de 53 anos, perdeu a vida no parque de estacionamento de uma discoteca na Golegã. A vítima terá sido baleada nas costas pelo ex-companheiro, enquanto saía do clube noturno com outro homem.



Comentários

Talvez seja do seu interesse...