Família desespera sem transporte para menino com doença rara em Lisboa

Família de menino com doença rara não consegue arranjar transporte de Nazaré para o Hospital D. Estefânia.

A família de Tiago Soares, um menino de oito anos com incapacidade permanente global de quase 100% e portador de uma doença rara, queixa-se de não haver uma ambulância para transportar o menino da Nazaré para o Hospital D. Estefânia. A família garante que a criança devia ter sido transportada para a unidade hospitalar de Lisboa mas que ainda não foi possível, pois nunca foi disponibilizada nenhuma ambulância para transportar o menino.

O menino de oito anos já foi operado duas vezes à anca esquerda e precisa de retirar o gesso colocado na última intervenção cirúrgica.

Com um trajeto de cerca de 240 quilómetros, ida e volta, a família de Tiago explica que é necessário levar o menino num transporte adequado, com um custo de pelo menos 200 euros.

«Não temos nenhum tipo de ajuda e é negada a ambulância porque a mãe do Tiago não é considerada como tendo insuficiência económica, apesar de só ganhar 600 euros, pouco mais que do que salário mínimo. E está agora de baixa para cuidar do menino», explicou a avó da criança, Margarida Macatrão, ao CM.

A avó da criança acrescentou ainda que “o médico que operou o Tiago passou a credencial para o transporte na ambulância, mas os serviços administrativos do Hospital D. Estefânia negaram-nos”.

“Estão a tratar o Tiago como se fosse um parasita da sociedade. Agradecemos a todas as pessoas que manifestaram interesse em ajudar o nosso menino, mas só queremos justiça e que seja o estado a assegurar todos os direitos da criança”, concluiu.

Talvez seja do seu interesse...