Família vende crianças para prostituição a idosos em Santarém

Duas meninas menores de idade, na altura dos crimes com 13 e 15 anos, foram vítimas de uma rede, criada por familiares, que as prostituía.

A mãe de uma das vítimas, foi condenada esta terça-feira, a dois anos e meio de prisão pelo Tribunal de Santarém, por ter “fechado os olhos” a uma situação de abusos em que a filha estava envolvida. Foi a única arguida a mostrar arrependimento pelos crimes praticados.

O padrasto da criança que mais abusos sofreu, irá cumprir uma pena de três anos e 10 meses na cadeia, ao passo que o avô da mesma foi condenado a quatro anos e oito meses.

A arguida principal, uma mulher de 51 anos, foi condenada a nove anos de prisão por três crimes de exploração de menores, tendo sindo comprovado que recebeu dinheiro por facilitar encontros entre as duas crianças e homens mais velhos, sendo que ainda aliciou uma terceira jovem para fazer o mesmo.

Foi provado em tribunal que a mulher se aproveitou da confiança das menores, vindas de famílias com pouco dinheiro, para as convencer a ter relações a troco de dinheiro, sendo a mulher a responsável por arranjar clientes. Um idoso de 76 anos, um dos clientes, foi condenado a 12 anos de prisão por um crime de abuso de criança e quatro de recurso à prostituição de menores, praticados sobre uma criança com uma deficiência cognitiva.

O Ministério Público acusou duas mulheres e quatro homens, todos residentes no concelho de Coruche e com relações familiares e de amizade entre eles. Sendo considerado pelos juízes que todos os arguidos agiram “com uma tremenda falta de valores morais”, aproveitando-se da “carência de dinheiro e da ausência de suporte familiar” das vítimas.

Devido a estes motivos, o tribunal decidiu não suspender a execução das penas.



Comentários

Talvez seja do seu interesse...