Homem preso durante 38 anos por duplo homicídio conseguiu provar que estava inocente

Craig Coley, veterano de guerra agora com 71 anos, foi condenado em 1978 pelo homicídio da ex-namorada de 24 anos e do filho de quatro.

O veterano de guerra geria um restaurante na California, Estados Unidos, e em 1978 foi condenado a prisão perpétua pelo homicídio da ex-namorada e do filho, no entanto, este nunca se conformou com a sentença, e declarou-se inocente.

Agora, quase 40 anos mais tarde, conseguiu provar a inocência e irá receber um montante de 21 milhões de dólares, cerca de 18,50 milhões de euros.

O suposto crime terá acontecido na madrugada de novembro. Rhonda Wicht, de 24, foi abusada e enforcada com uma corda, e o filho sufocado na própria cama. A polícia identificou vários ferimentos no homem, tal como uma t-shirt ensanguentada. A acrescentar a isto, a vizinha revelou que naquela noite tinha ouvido uma discussão no apartamento dos vizinhos, e viu o homem pegar na carrinha e abandonar o local.

Em 2013, o homem conseguiu reabrir o caso, e a polícia encontrou algumas das provas que julgavam estarem destruídas. Após analisarem novamente, foi descoberto que os vestígios de ADN nas duas vítimas não pertenciam a Craig Coley. Os polícias revisitaram ainda a casa da vizinha, e concluíram que não tinha visibilidade para ter visto o homem sair com a carrinha.

Os procuradores chegaram a pedir mesmo a pena de morte na altura em que foi condenado, no entanto, esse julgamento acabou por ser anulado e foi condenado a prisão perpétua.

No processo agora movido contra a própria cidade de Simi Valley, Craig Coley acabaria por sair igualmente vencedor e ver-lhe fixada uma indemnização ainda mais elevada. A CNN revelou que o senhor recebeu mais 21 milhões de dólares a acrescentar aos 2 milhões que já tinha recebido quando foi libertado em 2017.



Comentários

Talvez seja do seu interesse...