Hospital de Setúbal pede desculpa a utente por barata na comida

A refeição foi servida a mulher que estava em recuperação pós-parto. “Não dá para esquecer uma coisa destas, nunca mais lá como”, disse a utente.

O caso aconteceu em Setúbal, no Hospital de São Bernardo, Carla Neto, de 38 anos, que se encontrava em recuperação pós-parto, foi servida com uma refeição que continha uma barata morta. Depois da denuncia feita pela utente, residente em Almada, que se deslocou ao hospital para ter o seu segundo filho, o Hospital de Setúbal, endereçou um pedido de desculpas à mesma.

De acordo com o Jornal de Notícias, o hospital explicou à utente que “foram tomadas de imediato as medidas necessárias junto da empresa concessionária responsável pela confeção e distribuição da alimentação, no sentido de se averiguar em que circunstâncias ocorreu este incidente”.

Depois da utente ter apresentado queixa aos serviços hospitalares, foi realizada uma desinfestação urgente pela empresa responsável pela confeção da comida entregue ao hospital, conforme se lê no pedido de desculpas enviado à utente. Apesar disso, o pedido de desculpa e as medidas tomadas pelo hospital não foram suficientes para que a jovem mãe volte a pensar em comer no local, se acontecer ter que lá ficar internada novamente.

“Eu só fui para Setúbal porque o Hospital Garcia de Orta estava lotado, mas se no futuro lá voltar, não vou conseguir comer nenhuma refeição”, disse a mulher. “Foi o meu marido que me trouxe o jantar e, no dia seguinte, tive alta antes da hora de almoço”, acrescentou.

O caso está a ser investigado de modo a evitar eventuais focos de contaminação, pois, como se sabe, onde existe uma barata, existem muitas mais.

Comentários

Talvez seja do seu interesse...