Irmã do triatleta assassinado quebra o silêncio e fala sobre a cunhada

Em entrevista exclusiva ao Correio da Manhã, a irmã do triatleta encontrado morto quebrou finalmente o silêncio. Júlia Grilo, não acredita que a mulher do irmão tenha tido qualquer influência no crime que provocou a sua morte.

Não admito a ninguém que fale da Rosa. A mim, não me interessa aquilo que os outros acham. Interessa-me o que nós achamos dela. Ponho as minhas mãos no lume por ela. Aliás, toda a família”, defendeu.

Júlia Grilo recordou ainda que o irmão e a cunhada eram ainda um casal apaixonado e amigo, apesar de já estarem casados há 20 anos. A irmã contou que a cunhada acompanhava o triatleta nas provas e que “Faziam férias juntos, viviam a vida um do outro. Ela concordava sempre com a ida dele para as provas de triatlo”.

O último dia que o triatleta foi visto foi na segunda-feira, a 16 de julho, ele não foi trabalhar, nem sequer apareceu na empresa ou atendeu o telefone.

Naquele dia, todos os passos habituais e que são conhecidos dele saíram fora do que era habitual fazer. Luís Grilo desapareceu de Vila Franca de Xira e foi encontrado nu e com um saco na cabeça a 24 de agosto, em Avis, a mais de 130 quilómetros.

 

Comentários

You may also like...