Fotografia: Facebook @Flávia Epifânio

João Pedro Monteiro era conhecido como um jovem educado, calmo e pacato.

Caso aconteceu na zona exterior do Café Comendador, em Casével, concelho de Santarém, enquanto decorria uma festa de karaoke organizada por aquele estabelecimento.

O jovem de 24 anos perdeu a vida durante a madrugada deste domingo, na sequência de uma briga onde não estava diretamente envolvido. De acordo com o relato dos amigos de João, enviado à nossa redação, o alegado homicida não gostou que um dos amigos da vítima tivesse falado, educadamente, com uma mulher que se encontrava dentro do estabelecimento e envolveu-se numa briga completamente desnecessária.

Essa mulher não era companheira do homicida nem tampouco houve piropos direcionados à mesma, como foi anunciado anteriormente por outros órgãos de comunicação social, garante a mesma fonte.

Rui Mendes, de 56 anos, antigo árbitro e empresário residente em Santarém, não gostou de ouvir piropo dirigido à sua companheira e entrou em conflito com um dos jovens que se encontrava perto da vítima mortal.

João Pedro Monteiro, já no exterior do estabelecimento, com o único objetivo de acalmar os ânimos entre os envolvidos na discussão, terá tentado separar o seu amigo da briga e acabou ele por ser atingido com uma arma branca na zona do coração e cair nos braços de uma amiga.

De acordo com o relato de uma amiga de João, foi esta quem o segurou com os braços após ter sido golpeado na zona crítica do peito. A mesma revela que, Rui Mendes, o homicida, “tirou uma faca, espetou-a no João e teve o sangue frio de ir lavar as mãos à casa de banho [do estabelecimento] como se tivesse acabado de matar um animal”.

Nas redes sociais são várias as mensagens de pesar que lamentam o falecimento precoce do jovem de 24 anos. Já a amiga de João Pedro Monteiro, que presenciou o lamentável episódio, publicou no seu Facebook a seguinte mensagem de despedida:

“Meu querido João Pedro, não sei lidar com o que aconteceu…

Estavas tão alegre e a divertir-te tanto. Tu que até dizias não saber cantar e por isso nunca o querias fazer, deste-nos a honra de ir cantar contigo e de estarmos ao teu lado.

Tinhas sempre aquele sorriso no rosto a que nos habituaste e que nos reconfortava. Tinhas sempre uma palavra amiga para dizer. Passámos tantas horas juntos naquele sítio que é para nós uma segunda casa. Ninguém podia prever uma coisa destas.. Não consigo parar de imaginar o teu rosto sobre as minhas mãos, sentir o pesar da tua cabeça…

E dói… Dói muito! Tu sempre foste um lutador e hoje lutaste com toda a força, até não aguentares mais.. Sei que vais olhar sempre por nós e acredita que nunca vais ser esquecido! Não merecias isto!! A vida é demasiado injusta! Não há nada que apague a dor que sentimos neste momento.

Obrigada por me teres permitido ser tua amiga, obrigada pelos bons momentos. Estejas onde estiveres, estarás sempre connosco João.”