Jovem de 22 anos perde a vida após ser obrigada a abortar para fazer quimioterapia

Jovem teve de escolher entre a sua vida e a do seu bebé.

Perdeu a luta contra o cancro uma jovem de 22 anos que foi obrigada a abortar às 11 de semanas de gravidez para poder dar início às sessões de quimioterapia.

Charlotte Smith, uma jovem de nacionalidade britânica, foi diagnosticada com leucemia linfoblástica aguda e foi lhe informado que correria grande risco de vida se levasse a gravidez até ao fim. Após a notificação, a jovem de 22 anos tomou a difícil decisão de realizar um aborto e começar as sessões de quimioterapia nesse mesmo dia.

De acordo com a imprensa internacional, a gravidez era um sonho da jovem, que ainda não sabia que tinha cancro quando descobriu que ia ser mãe. Após ficar grávida, Charlotte começou a sentir muitas dores corporais e cansaço fora do comum – sintomas que davam indícios da jovem estar doente.

Depois da realização de vários exames de sangue, a jovem foi chamada ao hospital de North Yorkshire com urgência e informada de que teria de começar a realizar tratamentos com a maior brevidade possível.

Depois de ter concluído duas sessōes de quimioterapia e de ter efetuado um transplante de medula óssea, a saúde da jovem acabou por piorar e faleceu pouco tempo depois.



Comentários

Talvez seja do seu interesse...