Mãe injetou lixívia e sabão no seu bebé porque “não conseguia gostar dele”

Uma mãe foi condenada à prisão depois de ter admitido injetar lixívia e sabão líquido na sua filha de ano e meio. Conhecida como Elif K, a mulher admitiu também que cortou o corpo várias vezes com uma navalha, numa tentativa de tirar lentamente a vida ao seu bebé.

O caso aconteceu em Istambul, na capital da Turquia, já depois da mulher ter sido investigada duas vezes, no entanto, libertada em ambas as ocasiões e sem restrições quanto à guarda do filho.

A mãe revelou que “Não podia amar a minha filha, eu não conseguia aquecer-me com ela. E decidi tratá-la mal por isso.”

“Desde o seu primeiro mês de idade, injetei água sanitária e sabão líquido nos seus ouvidos, nariz e umbigo, até ela começar a sangrar. Então levei-a para o hospital para ser tratada. Quando eles a deixaram em casa, eu continuei a abusá-la. Injetava água sanitária e sabão, e cortava-a com uma navalha na cabeça, olhos, pernas, braços e peito.”

“Quando ela estava no hospital, eu injetava o sabão líquido do hospital nas suas veias. Eu também injetava lixívia nas suas veias.”

Elif K, que morava com seu marido Eray, e os três filhos em Istambul, ficou sob suspeita quando Eylul, o seu filho mais novo, continuava a adoecer.

O seu pai levou-a ao médico depois dela começar a sangrar das orelhas e umbigo, além de ter hematomas em todo o corpo, mas não conseguiu descobrir o problema. O menino teve mesmo que ser transportado para o hospital de ambulância, quando tinha nove meses, após a sua saúde piorar imenso.

Depois de ser diagnosticada com um crânio fraturado, bem como arranhões e hematomas em todo o corpo, os médicos desconfiaram e contactaram a polícia que iniciou uma investigação.

Elif K foi presa e interrogada, mas depois libertada após convencer as autoridades de que estava inocente.

A saúde de Eylul continuou a se deteriorar-se e ela foi internada novamente em agosto do ano passado, quando Elif K foi novamente interrogada, e outra vez libertada.

Quando o bebé foi levado ao hospital pela terceira vez, ao Hospital Kanuni Sultan Suleyman, os médicos recusaram-se a permitir que Elif K tivesse acesso ao seu filho e o bebé começou a recuperar.

Com as suspeitas sobre ela a aumentar, Elif K foi a uma esquadra onde se entregou e confessou tudo, dizendo ainda que a sua consciência finalmente tinha tirado o melhor dela.

Elif K já apareceu no tribunal onde foi considerada culpada de torturar o seu bebé, foi colocada em prisão preventiva. Uma nova audiência será realizada para determinar a sua sentença.

Eylul agora vive nos cuidados do seu pai e está a começar a recuperar a sua saúde.



Talvez seja do seu interesse...