Menina de 2 anos precisa de sangue raro para vencer luta contra cancro e sobreviver

Zainab Mughal, uma menina de dois anos que vive na Flórida, está a ser submetida a um tratamento contra um cancro e necessita de várias transfusões de sangue para conseguir vencer a luta.

No entanto, o problema reside no facto da menina ter um tipo sanguíneo muito raro, havendo, portanto, poucos doadores compatíveis no mundo.

A história ultrapassou fronteiras e sensibilizou muita gente nas redes sociais, motivando o início de uma campanha internacional em busca de doadores.

Para temos uma ideia da dificuldade em encontrar o sangue de que precisa, foram testadas mais de 1000 amostras e, dessas, apenas três são compatíveis. Nem os pais da menina podem doar. Os médicos dizem que são necessários pelo menos 10 doadores.

O banco de sangue sem fins lucrativos OneBlood, que coordena a campanha, disse que o programa rastreia 59 tipos de sangues raros, com mais de 120 mil doadores registados, mas que em setembro, quando a campanha teve início, não havia ninguém com o tipo que Zainab precisa.

O sangue não tem o antígeno Inb, que a maioria de nós tem. Isso significa que, se ela receber o sangue que tenha esse antígeno, o corpo vai rejeitar. Por isso, é preciso encontrar doadores que também não tenham o Inb.

De acordo com os organizadores da campanha, os doadores devem ser exclusivamente de ascendência paquistanesa, indiana ou iraniana, e ter sangue tipo O ou A. Isso porque, estatisticamente, a chance de encontrar o sangue compatível fora dessas populações é quase nula. Ainda assim, mesmo nesses grupos, calcula-se que menos de 4% das pessoas não tenham o antígeno Inb.

Mesmo que o seu sangue não tenha as características para ser o doador, partilhe esta informação. Quem acha que pode ajudar, deve entrar em contacto no site da organização OneBlood.

Talvez seja do seu interesse...