Militares da GNR agressivos invadem casa de homem que salvou burros no incêndio em Monchique

O momento da invasão foi registado durante um direto no Facebook.

As chamas do incêndio de Monchique deixaram parte da casa de Robert em cinzas, juntamente com o santuário de burros que tinha. Robert não desistiu dos seus animais e salvou a vida aos seus cinco burros, levando-os para fora do incêndio quando o mesmo se aproximava. A história de Robert e os seus burros acabou por se tornar viral nas redes sociais.

Ontem, dia 9 de agosto, Robert foi convidado a participar em um direto do Facebook na página “Quero Emigrar” para contar a sua história de vida e falar sobre o seu projeto conhecido como o “Santuário burros felizes”. Durante o direto, um grupo de militares da GNR invadiu a sua propriedade privada, sem autorização e sem se identificarem.

Como é possível ver nas imagens que ficaram registadas, os militares foram muito inconvenientes e agressivos com Robert, chegando a tratá-lo mal. A invasão decorreu após uma denuncia anónima que dizia que Robert tinha plantas de Canábis dentro da sua propriedade, plantas essas que não chegaram a ser encontradas durante a busca por parte dos militares.

Alfredo Rodrigues, ex-Comandante da Marinha Portuguesa, dono da página de Facebook “Quero Emigrar” pediu a Robert, durante o direto, que filmasse o que os militares da GNR estavam a fazer, visto que não era possível vê-los através da câmara do computador. Robert pegou no telemóvel e gravou as imagens que se seguem:

Os militares da GNR, extremamente agressivos, invadiram o Santuário de burros que foi arrasado pelo fogo, quase que agrediam Robert e tentaram atropelá-lo. Os militares recusaram-se a mostrar a sua identificação.

Os militares da GNR acabaram por abandonar o local sem se identificarem.

Comentários

Talvez seja do seu interesse...