Coala sofreu queimaduras muito graves.

Saúde do animal resgatado por mulher terá piorado nos últimos dias devido às graves queimaduras que sofreu, causando-lhe um enorme sofrimento.

Lewis, o coala que ficou mundialmente conhecido após ter sido resgatado por uma mulher dos incêndios que deflagram na Austrália, morreu esta terça-feira.

O anúncio do falecimento do animal foi feito pela equipa do hospital veterinário Port Macquarie, onde Lewis estava internado, através das redes sociais. A mesma publicação explica que tiveram de recorrer à eutanásia, devido ao grave sofrimento pelo qual o animal estava a passar.

“Indicámos recentemente que as queimaduras podem piorar antes de melhorar. No caso do Lewis, as queimaduras, pioraram, mas, infelizmente, não melhoraram. O objetivo primário do hospital é o bem-estar do animal, tendo sido essa base da decisão que foi tomada”, revelaram.

O mesmo anúncio conta já com milhares de comentários em que são feitos agradecimentos aos médicos e a toda a equipa que tomou conta de Lewis e o tentou salvar.

Os veterinários decidiram eutanasiar Lewis depois de examinar as queimaduras nos membros na terça-feira de manhã, numa altura em que este recebia “uma quantidade substancial de analgésicos”.

Recorde-se que foi a australiana Toni Doherty que resgatou o koala, com queimaduras bastante graves, de uma árvore perto de Long Flat e tentou aliviá-lo o máximo que pôde com água, embrulhando-o depois num lençol para o encaminhar a um hospital veterinário.