Mulher de 44 anos morre ao fazer aborto em Cascais

Dídia Couceiro, de 44 anos, faleceu em outubro de 2018 enquanto fazia um aborto no Hospital de Cascais.

Dídia foi aconselhada pelo hospital a realizar um aborto depois de ter sido informada que filho, de 19 semanas, sofria de trissomia 18.

Até aos dias de hoje, as causas da morte de Dídia continuam um mistério. Já depois de 8 meses as dúvidas continuam a não existir respostas concretas. O relatório da autópsia refere que não foi possível determinar as causas da morte da mulher devido ao avançado estado de decomposição do corpo.

Segundo a ‘Investigação CM’, Dídia era uma grávida de risco, hipertensa, tinha diabetes e histórico de abortos.

O Ministério Público e a entidade reguladora da saúde estão a investigar o caso desde fevereiro. O Hospital de Cascais abriu um inquérito interno e garante já ter respondido a todas as perguntas da tutela.



Talvez seja do seu interesse...