Mulher assassina o marido com várias pancadas na cabeça e enterra-o no quintal

A companheira de um proprietários de uma destilaria em Vidais, nas Caldas da Rainha, armou uma cilada para lhe tirar a vida.

O corpo do senhor foi envolvido em fita adesiva e enterrado no quintal de uma habitação, no entanto, foi descoberto um ano mais tarde.

O crime foi organizado pela companheira, que teve ajuda do irmão e da namorada deste, os três começaram a ser julgados nesta segunda-feira pelo Tribunal de Leiria, indicados pelos crimes de homicídios e ocultação de cadáver, entre outros crimes.

José Noronha, de 55 anos, tinha sido dado como desaparecido no dia 26 de fevereiro de 2015, contudo, fora assassinado uns dias antes, na noite de 11 para 12 de fevereiro, no apartamento que partilhava com Daniela Paulino, a sua companheira de 34 anos.

O irmão, Nelson Paulino, de 27 anos, a namorada, e a companheira do empresário atacaram-no na sequência de uma discussão, até este cair inanimado no chão.

O corpo foi deixado na bagageira vários dias, após ser amarrado com fita adesiva e uma corda de nylon. Depois de mais alguns dias, levaram-no para uma moradia em Alfeizerão, Alcobaça, onde o enterraram.

A Polícia Judiciária de Leiria deteve os três alegados autores do crime após um ano, quando o corpo foi descoberto e desenterrado.

Os três suspeitos começaram a ser interrogados a 5 de fevereiro de 2018, foram constituídos arguidos e postos em liberdade, no entanto sujeitos a apresentações diárias à esquadra local.



Comentários

Talvez seja do seu interesse...