“Não tenho vontade de viver” desabafa Alice Barata

Tem 56 anos, está desempregada e tem de viver da reforma de 273€ da mãe.

“Não tenho vontade de viver”, diz Alice Barata, a quem o rendimento social de inserção foi cortado.

Eu acredito que esta senhora esteja totalmente desesperada. Como este caso, há imensos em Portugal.

O rendimento social de inserção foi-lhe cortado e eu pergunto, e aquelas milhares de pessoas que recebem o mesmo, não fazem nada da vida, levam uma vida de luxo, com pequenos almoços todos os dias em pastelarias, quando têm de trabalhar negam-se e mesmo assim estes serviços sociais continuam a sustentar estes parasitas por ordem de “alguém”.

Acredito que esta senhora queira trabalhar e queira ter uma vida digna.

Isto é demais. Isto corta-me a alma mas o que REALMENTE me dói, são estes programas da TRETA que levam estas pessoas ao mesmo, expõem as suas vidas e depois dizem-lhes que tudo vai melhorar e desejam-lhes boa sorte na vida.

Tudo para GANHAR AUDIÊNCIAS.

E que tal darem-lhes algum apoio? Solucionar os problemas dos mesmos com os recursos que têm e não são poucos.

Mas não, é mais bonito pedirem para ligar para os números começados em 760, encherem os bolsos à conta da miséria das pessoas e CAGAREM-SE literalmente nas mesmas.

Os culpados não são os apresentadores que estão a fazer o seu trabalho, mas sim quem gere estas grandes indústrias, os que não dão a cara e estão por detrás destas PALHAÇADAS FRAUDULENTAS.

Mais uma vez serei criticado pelo meu modo de pensar, mas já estou habituado.

Em relação a esta senhora irei tentar saber mais pormenores e ajudar a mesma a conseguir trabalho pelo menos na sua área de residência e ter uma vida mais digna.

Meus amigos, vivemos num mundo cão onde cada vez mais se vê egoísmo e falsidade. É o salve-se quem puder! Tristeza!”

Crónica de Mário Gonçalves.



Comentários

Talvez seja do seu interesse...