Quatro cães fieis esperam pelo dono sem-abrigo à porta de hospital

César Gonçalves é o nome do sem abrigo que recolhe materiais recicláveis na rua para sobreviver, no Brasil.

Apesar de aparentar ter uma vida completamente solitária, César tem quatro amigos com uma ligação de fidelidade muito forte. Não são pessoas, mas sim quatro cães por quem tem muito amor.

Bebé, Nick, Menina e Tico são o nome destes quatros companheiros que o seguem para qualquer lado que ele vá.

Recentemente, na passada segunda-feira, dia 10 de dezembro, os quatro cães esperaram pelo dono à porta do Hospital Regional Alto Vale, em Rio do Sul, após César precisar de receber tratamento médico.

O momento verdadeiramente especial foi capturado pelos funcionários do hospital em questão que decidiram partilhá-lo nas redes sociais, acabando por se tornar viral e ser partilhado dezenas de milhares de vezes.

“Com tanta gente má por aí, hoje deparei-me com essa cena. No hospital em que trabalho, as 3h da madrugada, enquanto o seu dono (sem abrigo) estava a ser atendido, os seus companheiros esperavam por ele à porta.

Uma pessoa simples, sem luxo, que depende da ajuda para vencer a fome, o frio, as dores, as maldades do mundo, tem ao seu lado os melhores companheiros , e a troca é recíproca. Troca de amor, carinho, calor, compreensão…

Uma pessoa que nos confessou que deixa de comer para alimentá-los. Não sei como é a vida dele, o porque está na rua, e nem quero saber e julgá-lo, mas admiro o respeito e amor que ele tem pelos seus bichinhos.

Vê-los eles assim, à espera dele à porta, só mostra o quanto eles são bem cuidados e amados. Ai se todos fossem assim… Se não houvesse maldade, maus tratos…”, escreveu a responsável pela partilha do momento nas redes sociais.

Lucrécia Vendrami, uma das enfermeiras que estava de serviço na noite do sucedido, contou que ela e outros funcionários do hospital se reuniram para angariar dinheiro e comprar comida a César, que acabou por dividir com os seus animais.

“Eu nunca tinha visto, com tantos animais juntos. Eram quatro cães que nós vemos normalmente por aqui, mas nada que a gente consiga ver que é de alguém, ou que veio com alguém daquela maneira”, disse Lucrécia.

César afirma que é normal receber muito amor e carinho dos seus companheiros de quatro patas e que não imagina viver longe deles.

Comentários

Talvez seja do seu interesse...