Recusaram fazer o aborto do bebé com deformação, e 2 anos depois emocionaram o mundo

A gravidez é um dos momentos mais emocionantes na vida de uma mulher. O desejo e a ansiedade de ver o seu filho nascer e de agarrá-lo entre os próprios braços é algo que poucas vezes acontece na vida.

Sara Heller e o seu parceiro Chris , passaram exactamente por esta situação, de ansiedade e espera pelo seu filho, que iria nascer nos próximos meses, no entanto, na 24ª semana de gestação, tudo complicou-se.

O casal americano, Sara Heller e Chris Eidam esperavam o primeiro filho, que chamariam de Brody, quando o médico lhes mostrou uma ecografia em que algo não estava bem.

O médico avisou que teria um defeito congénito, que iria afetá-lo para toda a vida, no entanto, quando o médico lhes perguntou se ainda assim queriam seguir em frente e ter o filho, o casal respondeu: “Se o nosso filho nascer a respirar, isso é suficiente para o deixar nascer”.

E assim, tiveram o filho, com uma doença raríssima, que apenas afeta 9 pessoas em todo o mundo. O rapaz sofre de lábio leporino bilateral e distúrbio de perda de cromossoma, tornando a sua aparência diferente dos outros.

Isto não fez com que a família tivesse vergonha de o mostrar ao mundo, pelo contrário, partilham fotos diariamente do filho nas redes sociais.

Certo dia, um comentário doloroso numa fotografia deixou a mãe chocada, “O que se passa com a cara do teu filho?”, Sara respondeu educadamente, embora lhe tivesse custado muito ler aquele comentário, que lhe preocupou muito, tendo consciência de que no futuro, o aspeto do seu filho poderia causar-lhe mais problemas de bullying.

Certo dia, durante um jantar num restaurante, uma pessoa deixou uma surpresa aos pais que traziam Brody com eles, a empregada de mesa entregou-lhes um cheque de 1000 dólares, que tinha sido oferecido por outra pessoa que jantava perto deles, no entanto, quando a empregada entregou o dinheiro, o doador anónimo já tinha saído do restaurante, sem nunca o poderem agradecer.

Os 1000 dólares foram usados para suportar o custo das cirurgias estéticas a que o seu filho foi submetido.

Sara e Chris recuperaram a fé, e com a ajuda de mais doações, o pequeno Brody conseguiu com a ajuda de cirurgias corrigir o problema do lábio que o tornava ‘diferente’ aos olhos das outras pessoas.

Após 2 anos, o pequeno Brody ficou assim:



Comentários

Talvez seja do seu interesse...