“São uma vergonha na nossa sociedade” – Carta aberta aos “bostas” da polícia

O assessor parlamentar do Bloco de Esquerda e dirigente da Associação SOS racismo, comentou esta segunda-feira o caso da intervenção dos agentes da PSP no Bairro da Jamaica, no Seixal, usando o termo “bosta de polícia”.

Mário Gonçalves, que já nos habituou aos seus grandes textos, surge com uma “carta aberta” que visa responder ao comentário feito pelo assessor:

Excelentíssimos “bostas policiais”,

São uma vergonha na nossa sociedade!

Onde é que já se viu, em pleno estado democrático, andarem nas ruas a fazer patrulhamento até altas horas da madrugada, para o bem estar e segurança dos cidadãos?

São uma vergonha na nossa sociedade!

Onde é que já se viu, em pleno estado democrático, deixarem as vossas famílias em casa para darem a vossa vida em prol daqueles que ainda gozam na vossa cara?

São uma vergonha na nossa sociedade!

Onde é que já se viu, em pleno estado democrático, prenderem bandidos e criminosos, se na verdade os mesmos são “inocentes” e soltos pela (in)justiça?

São uma vergonha na nossa sociedade!

Onde é que já se viu, em pleno estado democrático, “bostas e incompetentes” como vocês, que juraram defender a nossa pátria, serem tão descriminados pelos cidadãos, pela (in)justiça do nosso País e mesmo assim continuarem a defender o vosso juramento até ao fim das vossas vidas?

São uma vergonha na nossa sociedade!

Onde é que já se viu, em pleno estado democrático, “bostas e incompetentes” como vocês, que lutam contra a criminalidade no nosso País, criminalidade essa que está a aumentar a cada dia que passa, com ordenados miseráveis e a serem desrespeitados perante a lei?

São uma vergonha na nossa sociedade caros “bostas policiais”!

Ainda não aprenderam que são os criminosos e os bandidos que gerem a economia e o futuro do nosso País?

Ainda não aprenderam que são os criminosos e os bandidos que mandam nesta merda toda e que vocês são e serão sempre alvos de chacota por parte daqueles que defendem?

Ainda não aprenderam que são os criminosos e os bandidos que mandam na (in)justiça em Portugal?

Em suma:

Será que ainda não abriram os olhos de uma vez por todas e ainda não tenham entendido que caso se acomodem às (in)justiças cometidas sobre vocês, continuarão a ser alvo de chacota pública?

O que vão continuar a fazer?

Eu sei, vão continuar a defender a nação com unhas e dentes. Vão continuar a ser chamados de bostas, incompetentes, mas na verdade o amor que os une a essa farda é mais forte que qualquer injustiça cometida sobre vocês, todos os dias, até ao fim das vossas vidas.

Muitos vão continuar a tombar ao serviço da nação. Homenagens fúnebres serão feitas por parte daqueles que poderiam ter evitado a tragédia e limitaram-se apenas a fechar os olhos.

A bandeira de Portugal, aquela que esteve frente aos vossos olhos no juramento, será a vossa última “manta”, no caixão.

No caixão, cujo dentro do mesmo está aquele que sempre fora chamado de bosta e incompetente. Palavras que levará consigo para a sua última morada. Palavras de “pessoas” que tantas e tantas vezes ele defendeu.

Os vossos colegas só poderão recordar os bons e maus momentos ao vosso lado. Vão chorar no momento da dor e da despedida. Vão dizer até já, mas agora…?

Agora os “bostas e incompetentes” dos vossos colegas vão ter que ir trabalhar. Vão ter que deixar um ramo de flores sobre a vossa campa. Vão ter que ir vestir a farda e regressar às ruas, para continuarem o juramento!

O juramento de defender a sua pátria, com o sacrifício da sua própria vida…

Até que alguém um dia, lhes leve também a eles um ramo de flores!

Um abraço sincero e amigo,

Terão sempre o meu respeito e consideração!”

Um texto de Mário Gonçalves

Se concorda com o que foi dito por este grande senhor, divulgue com os seus conhecidos.



Comentários

Talvez seja do seu interesse...