Sumos de laranja com larvas servidos na Padaria Portuguesa gera onda de revolta

A Padaria Portuguesa está a servir em várias lojas em Lisboa, sumos de laranja naturais com larvas.

Vários testemunhos de consumidoras têm surgido depois de se depararem com larvas dentro dos sumos, depois de os terem comprado. Segundo o Jornal de Notícias, em 2015 já tinham sido relatados casos semelhantes.

O diretor de qualidade da Padaria Portuguesa, Carlos Pina, após ter sido questionado por causa das denuncias recentes, reconheceu que “nos últimos dias, têm surgido certos casos de presença de larvas no sumos de laranja natural servidos”. O mesmo acrescentou que os episódios se devem ao facto da qualidade da laranja do Algarve atrair a mosca da fruta.

“Por política interna, privilegiamos matérias-primas e ingredientes nacionais e a laranja é disso exemplo – na maior parte do ano compramos laranja nacional do Algarve, que se caracteriza por um brix mais elevado e por isso se traduz em maior qualidade e doçura. Tipicamente, nesta altura do ano, os pomares do Algarve são vulneráveis à mosca do Mediterrâneo (também conhecida como “mosca da fruta”), que, em casos pontuais, se traduz numa evolução para o estado de larva no interior da laranja”, afirmou, dizendo ainda que, apesar do impacto visual negativo, é completamente inofensivo para a saúde.

Apesar de todo o controlo de qualidade da Padaria Portuguesa, a identificação das larvas a olho nu é muito difícil, quer na laranja inteira, como após a sua abertura. Carlos Pina, garante que a Padaria Portuguesa já está a trabalhar com produtores locais na procura de pomares livres desta praga de larvas, de forma a evitar que no futuro se repita situações semelhantes.

Segundo o Jornal de Negócios, cerca de 10 toneladas de laranjas podem estar afetadas com este problema, o que equivale a mais de 15 mil litros de sumo vendidos.

Comentários

Talvez seja do seu interesse...