Trabalhadores solidários com a empresa que “castigou” funcionária com paletes

Uma manifestação, com cerca de 20 trabalhadores da empresa corticeira Fernando Couto S.A., em Paços de Brandão, Feira, aconteceu esta quarta-feira.

A manifestação ocorreu como forma de solidariedade com a administração da empresa que tem sido acusada pelo público de maus princípios, devido a ter “castigado” uma funcionária.

A funcionária em questão foi obrigada a carregar e a descarregar a mesma palete cerca de 30 vezes por dia desde que a administração a teve que reintegrar na empresa por ordem do tribunal de trabalho.

Confrontados com as sucessivas denúncias do público, os trabalhadores da empresa não negaram a tarefa diária da funcionária, no entanto, acrescentam, que serve para que a mesma “aprenda”.

O porta-voz dos trabalhadores, Carlos Melo, afirma que Cristina Tavares, a funcionária em casa, é “uma pessoa conflituosa”, e garante que “a empresa está a ser enxovalhada injustamente”.

Para além disso, diz que “Estão a denegrir a imagem da empresa. A entidade patronal não merece isto”. “Esta empresa tem 40 anos e nunca teve problemas com ninguém, somos bem tratados”, acrescentou.

Cristina Tavares também denunciou o facto de utilizar uma casa de banho que não tem o mínimo de privacidade, de maneira que se viu obrigada a levar para a empresa um pano preto para ocultar a visibilidade para o interior da divisão. Essa casa de banho foi utilizada por outros trabalhadores durante vários anos, no entanto deixou de ser utilizada pelos mesmos.

Os funcionários referem ainda que não estão proibidos de falar com Cristina Tavares. “Nós é que não queremos falar com ela”, afirmam.

Outra funcionária da empresa, Maria Bastos, disse que está na empresa há cerca de 40 anos e nunca teve problemas nem tem nada de negativo a apontar.

Fonte: JN

Comentários

You may also like...