Triatleta foi assassinado em casa pela mulher e o amante

Segundo Rosa, Luís Grilo não lhe havia contado que ia treinar de bicicleta a 16 de julho, no entanto, a essa hora já teria matado o marido com a ajuda do seu amante, um funcionário judicial. O crime terá acontecido dentro de casa do triatleta, nas Cachoeiras, Vila Franca de Xira.

A investigação da Polícia Judiciária até aponta que o crime terá ocorrido um dia antes da mulher do triatleta ter alertado as autoridades para o desaparecimento dele.

Tudo foi planeado ao pormenor, primeiro, deixou o filho de doze anos na casa dos avós, depois, nesse dia, fez desaparecer também a bicicleta da vítima, plantando de seguida o telemóvel na estrada, num local onde Luís passava habitualmente durante os seus treinos. O dispositivo terá sido encontrado logo no dia a seguir, com Rosa Grilo a incentivar os amigos de Luís a ajudar nas buscas pelo seu marido, que segundo ela poderia ter sido alvo de um acidente rodoviário.

No início do mês, Rosa que foi confrontada com o facto das suspeitas poderem recair sobre ela, respondeu: “Não, de todo! Eu não tenho nada a ver com isso” No entanto a Polícia Judiciária descobriu que Rosa tem um amante, oficial de justiça que trabalha num tribunal, e que terá juntamente com ela executado o crime, provavelmente após a vítima os ter apanhado juntos.

A PJ detém em sua posse provas de ADN que a denunciam, e após terem sido recolhidos vestígios de sangue na casa do triatleta, tudo aponta para que tenha sido la onde se realizou o crime. De seguida esconderam o corpo, e no dia seguinte Rosa simulou o seu desaparecimento.

O corpo só foi encontrado cinco semanas mais tarde, a 24 de agosto, com um saco preto na cabeça e todo nu, na zona de Avis, terra natal de Rosa Grilo. As marcas deixadas na cabeça apontam para um assassinato muito violento.

O filho menor, foi a meio da manhã desta quarta-feira, quando a mãe já tinha sido levada para a PJ e enquanto decorriam buscas e perícias dentro da casa da família, levado por duas mulheres que serão familiares do casal.

Os dois suspeitos estão indiciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver, em coautoria. Arriscam até 25 anos de cadeia. Serão hoje presentes ao tribunal de Vila Franca para aplicação de medidas de coação.

 

Talvez seja do seu interesse...