Uma mulher que decidiu ser Bombeira como o marido

Bem, como começar…

Tudo teve início quando comecei a namorar com o meu (atual) marido. Tinha eu 18 anos e ele 21. Ele já era Bombeiro desde os 18 anos.

De início o nosso relacionamento era bastante duro, não por não nos gostarmos um ao outro mas sim pelo facto de ele ser Bombeiro!

Ser Bombeiro ocupa muito tempo e era por isso que discutíamos, por ele passar mais tempo no Quartel do que comigo. Ele passava todo o seu tempo a falar do seu dia, das diversas ocorrências e de tudo o que aprendia a cada dia que passava.

Até que então, comecei a sentir algo diferente, algo despertou em mim graças a todo aquele entusiasmo do meu namorado (atual marido). Fez-me ver o que é realmente ser Bombeiro (e que orgulho eu tenho).

A cada novo dia quis saber mais do que ele fazia e também aprender. Até que chegou o momento em que decidi que era também o caminho que eu queria seguir (por incrível que pareça), ser Bombeira! Percebi que ser Bombeiro é muito mais do que se pensa, do que eu própria pensava (admito).

No começo da nossa relação sempre fui muito egoísta com o facto de ele ser Bombeiro e agora eu também tinha decido sê-lo!? Como é que eu lhe iria contar? Será que ele ia ficar orgulhoso na minha decisão ou iria julgar-me por eu o ter tantas vezes criticado? (Sim, admito fui realmente fudid* para ele, sem ter intenção)

Até que chegou o derradeiro dia, passados dois anos de namorarmos. Sentámo-nos junto do Quartel, onde ele era tão feliz, e disse-lhe com bastante receio da sua reação, “mostraste-me o melhor caminho a seguir, sem tu fazeres sequer ideia de que o estavas a fazer. Decidi que quero ser Bombeira e que quero fazer exatamente o que tu e todos os outros Camaradas fazem, Salvar Vidas!” O meu coração tremia, até que ele disse (parece que foi ontem e ainda estou a ver tudo na minha cabeça): “vais ter uma missão bastante importante nas mãos, vais servir! Estou tão contente por te ter mostrado este caminho, agora só tens que orgulhar a farda como eu sempre fiz”.

Naquele momento soube que ele já sabia do que eu queria, talvez há mais tempo do que eu própria… E nem sei porque tanto temi de lhe contar, talvez por ter medo de errar e não o conseguir orgulhar tanto como ele me orgulhava (e continua a orgulhar!).

Hoje, passados oito anos, somos ambos Bombeiros na mesma Casa (sim, porque o Quartel virou a nossa Casa). Não podíamos estar mais felizes e o meu marido diz que foi a melhor decisão que tomei (e, realmente foi).

Termino ao dizer que, quem tem um relacionamento com um Bombeiro ou Bombeira é bastante complicado. Mas, felizmente, percebi que todo aquele amor de servir os outros era também o que eu sempre quis. Agora esperamos que o nosso menino de dois meses também queira vir a ser como os pais, Bombeiro.

Obrigada a ti Marido por me teres mostrado o melhor caminho a seguir, Servir!

Fonte:
Vida de Bombeiro

Comentários

You may also like...